(21) 3867-9331 / 3105-5283 / 99670-3800 (WhatsApp) | atendimento@sorrirdenovo.com.br
O que é DTM?

DTM é a abreviatura de Disfunções Temporomandibulares. Como o próprio nome diz, as DTM são alterações funcionais, que comprometem a função mastigatória, a deglutição e a fala e que podem se apresentar na forma de varias alterações. Exemplo: se tem dor durante a abertura e fechamento da boca; se tem dificuldades na mastigação de determinados alimentos; se escuta barulhos de estalar na hora de abrir a boca. Essas alterações da função mandibular podem estar associadas a presença de dor. A dor durante a mastigação é um sintoma clássico de DTM, bem como a limitação de abertura da boca.

O que causa uma DTM?

A causa das DTM apresenta um caráter de diversos fatores, estando associados à hiperatividade muscular, trauma, estresse emocional, maloclusão, além de inúmeros outros fatores predisponentes, precipitantes ou perpetuantes dessa condição. Vários fatores podem causar uma DTM. Não existe uma causa comum a todas as DTM, mas o trauma pode ser o principal causador dessa alteração funcional.

Uma associação de fatores (má oclusão, bruxismo, um desenvolvimento anormal das ATM, um trauma forte – acidente e tombos no qual ouve pancada no queixo ou na face, estresse, etc) podem causar ou manter uma DTM. Em virtude da complexidade das causas e da variedade dos sinais e sintomas que podem, genericamente, também representar outras patologias, o reconhecimento e a diferenciação das disfunções temporomandibulares podem apresentar-se de forma não muito clara ao profissional.

Quais são as queixas mais frequentes dos pacientes com DTM?

– Ruídos articulares (estalidos e crepitações);
– Cansaço dos músculos que abrem e fecham a boca;
– Desvios mandibulares na abertura e fechamento da boca;
– Limitação para a abertura da boca;
– Travamentos de boca aberta ou fechada;
– Apertamento e rangimento dental diurno e/ou noturno;
– Dor em região pré-auricular, que se localiza próximo ao ouvido;
– Dor na própria articulação temporomandibular;
– Dor na cabeça, na face e no pescoço;
– Dor no ouvido (inclusive sensação de diminuição de audição ou zumbidos);
– Dor de dente e desgastes dentais.

Tratamentos

Apenas 5% a 10% dos que apresentam sintomas necessitam de tratamento médico; nos demais casos eles regridem espontaneamente. Os tratamentos variam. Compressas, fisioterapias podem ajudar alguns casos. Os analgésicos são indicados para os momentos de crise. Há pacientes que precisam de cirurgia. Para os que sofrem de bruxismo – quem aperta os dentes excessivamente durante o sono –, as placas de acrílico são indicadas e devem ser feitas sob medida.

 

[/vc_column_text]

Dra. Erica Santto

TURNO/DIA SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO
Manhã  check check
Tarde  check

Mais especialidades

Geriatria

Fonoaudiologia

 

Psicanálise

Ultrassonografia